15 formas de Gestão Criativa de Conteúdo, para ajudar a trazer clientes para seu site

Postado por

Ah, aconteceu de novo.

Você lançou um novo produto e criou uma estratégia robusta de marketing de conteúdo para apoiá-lo. Você divulgou dezenas de postagens em blogs, vídeos do YouTube e postagens em mídias sociais para atrair novos clientes. Mas o que você ouviu foi nada mais que silêncio e grilos cantando.

O marketing de conteúdo é a essência do marketing digital eficaz. Mas com tantas marcas que utilizam os mesmos princípios, o ambiente de marketing ficou saturado.

Todas as empresas estão utilizando as mesmas estratégias e deixando de fornecer experiências únicas aos clientes. A gestão criativa de conteúdo pode ajudá-lo a preencher esta lacuna. Ela permite a transição do marketing de conteúdo tradicional para uma gestão de conteúdo inovadora que envolve, encanta e converte seus clientes.

Então, o que é a gestão criativa de conteúdo, e como você pode implementá-la? Vamos descobrir.

O que é a Gestão Criativa de Conteúdo?

Se você nunca ouviu falar em gestão criativa de conteúdo antes, considere-se sortudo. Não há muitas marcas que saibam sobre isso, quanto mais sobre implementá-lo. Todos estão abusando da web com seus blogs e vídeos, que só oferecem mais do mesmo.

Pense na web como um balde de água. E o conteúdo regular (postagens em blogs, vídeos e artigos) como cascalho escuro. Todas as empresas jogam cascalhos no balde para os consumidores escolherem. Quando os consumidores olham dentro, não veem nada além de um balde cheio de cascalho escuro – tudo a mesma coisa. Não há como eles se diferenciarem.

Mas quando você implementa a gestão criativa de conteúdo, é como jogar um rubi vermelho brilhante dentro do balde. Quando as pessoas olham para dentro, você se destaca, brilha, e chama toda a atenção.

Então, o que realmente significa gestão criativa de conteúdo? Na sua forma mais básica, a gestão criativa de conteúdo é uma abordagem estratégica que visa a criar e distribuir conteúdos únicos, cativantes e voltadas para o cliente que força o usuário a fazer parte de sua marca.

Gestão Criativa de Conteúdo vs. Marketing de Conteúdo

Agora, no que ele difere do marketing de conteúdo tradicional? Bem, como a gestão criativa de conteúdo é uma versão ajustada do marketing de conteúdo, muitos princípios se sobrepõem. Muitas estratégias e canais de distribuição permanecem os mesmos.

No entanto, a abordagem é diferente. No marketing de conteúdo tradicional, a maioria das marcas concentra-se na criação de conteúdo que informa os consumidores sobre como o seu produto pode melhorar as vidas deles.

É uma boa abordagem, e funcionava há cinco anos. Mas adivinhe só, todos o estão fazendo! Todas as marcas estão inundando a web com vídeos informativos e educativos. Chamamos isto de sobrecarga de informação.

E vamos encarar os fatos – talvez nunca gostamos da escola porque não gostávamos de muita informação e ensino. Mas, por outro lado, adorávamos as aulas de educação física e artes porque nos engajavam. Era como se fizéssemos parte delas.

Na gestão criativa de conteúdo, você oferece aulas sobre artes e esportes aos seus clientes. Você cria conteúdos que não são apenas informativos, mas divertidos. É algo único, que seus consumidores não estão esperando ou nunca viram antes.

Em sua essência, a gestão criativa de conteúdo atende a dois propósitos: atrair e entreter seu público e, é claro, garantir uma promoção consistente da marca que os transforme em clientes habituais.

Cinco Formas de Gestão Criativa de Conteúdo que Podem Ajudar a Trazer Clientes

A gestão criativa de conteúdo significa ir além dos tradicionais blogs e vídeos do YouTube. Isso não significa que você deve abandonar os blogs e outras estratégias de marketing de conteúdo.

Continue a implementá-las, mas acrescente as seguintes técnicas criativas de gestão de conteúdo para envolver seus clientes e impulsionar o crescimento de seu negócio.

1. Leve-o para as Ruas: Publicidade OOH

Embora o marketing digital seja o coração de qualquer funil de marketing, a boa e velha publicidade OOH nunca fica obsoleta. Banners, cartazes e outdoors ainda são uma parte colossal de qualquer estratégia de marketing para empresas de todos os tamanhos.

Out-of-home (OOH) ou publicidade externa é uma estratégia de marketing que utiliza as mídias externas para promover sua marca. Outdoors, postes de iluminação, banners em viadutos, displays POS e publicidade de guerrilha são tipos comuns de publicidade OOH.

O mundo está se tornando digital. Todas as empresas, independentemente de seu tipo de setor, estão trabalhando online. Por isso o uso eficaz de estratégias de publicidade OOH pode lhe proporcionar uma grande vantagem sobre seus concorrentes.

Ao contrário das técnicas de publicidade digital, a publicidade OOH não é rastreável. Você não será capaz de determinar se algum consumidor tomou alguma medida e isso faz com que muitas empresas tendem a evitá-la.

Contudo, você pode eliminar este problema utilizando QR codes. QR codes são um tipo de código de barras, mas podem integrar mais informações e são rastreáveis. As marcas podem criar um QR code personalizado incluí-lo em seus anúncios.

Junto com o código, inclua um call to action claro. Peça aos consumidores que digitalizem o código – para marcar uma consulta, obter um desconto, visitar seu website, etc. Como o rastreamento do QR code é fácil e preciso, você consegue saber quantas pessoas já realizaram uma ação.

2. Podcasts

Um podcast é uma série de episódios de conteúdos de áudio que os usuários podem transmitir online ou baixar para seus dispositivos. Você deve ter ouvido falar de séries populares de podcasts como The Joe Rogan Experience, This American Life, e The Daily.

Os podcasts vêm ganhando popularidade porque são fáceis de consumir, em comparação com a leitura de texto ou a visualização de vídeos. As pessoas podem colocar seus fones de ouvido e ouvir um podcast enquanto se exercitam, meditam, cozinham, viajam, etc.

21% dos adultos dos EUA ouvem no mínimo um podcast por mês. Atualmente, o conteúdo em áudio registra um grande aumento, e os podcasts ajudam a expandir o alcance on-line para qualquer empresa. E é fácil encontrar uma plataforma de hospedagem de podcasts conveniente.

No passado, muitas marcas tiveram grande sucesso com podcasts. Slack, uma ferramenta de colaboração online para equipes remotas, lançou seu podcast, o Slack Variety Pack, em 2015. A empresa compreendeu muito bem seu público-alvo – jovens, ambiciosos e empreendedores com conhecimentos técnicos. O podcast incluía episódios de 20-40 minutos que falavam sobre a vida, o trabalho e tudo o que está entre eles.

O público do podcast cresceu com quase todos os episódios. Não é de surpreender que a Slack tenha alcançado o mais rápido crescimento em aplicações comerciais da história.

3. Conteúdo Gerado pelo Usuário

Conteúdo gerado pelo usuário (UGC) refere-se ao conteúdo (texto, imagens ou vídeos) criado e compartilhado pelos seus clientes online.

Porque o UGC é tão importante? Porque aumenta a confiança. De acordo com o Índice Nielsen Consumer Trust, 92% dos clientes confiam mais nos conteúdos orgânicos gerados pelo usuário do que no marketing tradicional. Então, se utilizada corretamente, o UGC pode:

Permitir a curadoria do conteúdo

Aumentar o alcance das redes sociais

Ajudar a gerar conteúdo exclusivo

Ajudar a obter insights do público

Aumentar a personalização

De uma forma ou de outra, todas as marcas inovadoras estão utilizando o UGC. Lembra-se da campanha da Netflix para Stranger Things 2? Antes da estreia, a Netflix começou a promover postagens de seus fãs no Instagram com o título de “Stranger Things 2” na hashtag. Os usuários ficaram curiosos e começaram a compartilhar imagens e vídeos de coisas estranhas de suas vidas.

O resultado? A Netflix gerou uma audiência de cerca de 1 milhão de pessoas em duas semanas. Stranger Things tornou-se um dos programas mais populares na Netflix. E o faturamento da empresa aumentou.

A Starbucks também surgiu com o #WhiteCupContest em 2014, incentivando seus clientes a fazer desenhos artísticos em seus copos e compartilhá-los no Twitter. Em três semanas, a empresa recebeu cerca de 4.000 copos desenhados. O crescimento trimestral da Starbucks na comparação anual, que fora estável entre 2012 e 2014, aumentou no final de 2014 e em 2015.

Mas você não precisa ser a Netflix ou a Starbucks para se beneficiar do UGC.

Ao identificar as últimas tendências de consumo, você pode incentivar seus clientes a compartilharem mais conteúdo com sua marca.

4. Marketing de Influência

Marketing de influência é a última moda agora. 80% dos profissionais de marketing consideram o marketing de influência eficaz. Não apenas isso, 71% dos profissionais de marketing afirmam que a qualidade dos clientes e o tráfego do marketing de influência é melhor do que outras fontes de marketing.

O marketing de Influência é uma abordagem de marketing estratégico que envolve a colaboração com líderes do setor e influenciadores das redes sociais para levar a mensagem de sua marca.

Vamos encarar os fatos. Os clientes estão mais céticos do que nunca. E eles não confiam tanto assim nas marcas. Para eles, todas as empresas são anunciantes estereotipados que tentam arrancar seu dinheiro.

Mas eles dariam ouvidos a alguém em quem confiam. Se uma mensagem vem de uma pessoa de confiança, é provável que as pessoas realizem ações. De fato, 74% dos consumidores concordam que o marketing boca-a-boca pode influenciar sua decisão de compra.

Há anos as marcas se beneficiam do marketing de influência. No entanto, o marketing de influência tradicional girava em torno de celebridades e personalidades esportivas com milhões de seguidores. Isto tem dois inconvenientes. Primeiro, os honorários de celebridades são demasiado altos e as empresas menores não têm dinheiro para isso. Segundo, as celebridades não têm audiências de nicho.

Você poderia ser uma empresa automóvel e contar com Kylie Jenner para promover seu novo carro. Mas as pessoas seguem a Kylie por carros? De jeito nenhum. Você pode até ter um grande alcance, mas dificilmente vai gerar vendas.

Para vencer este obstáculo, as marcas passaram a utilizar macro e microinfluenciadores. Estas pessoas podem ter seguidores entre 1.000 e um milhão; no entanto, elas têm audiências de nicho.

Tomemos como exemplo Aaron Marino, também conhecido como Alpha M. O rapaz tem mais de 600k seguidores no Instagram, mas o foco de sua audiência é o lazer. As pessoas seguem-no para receber dicas de moda, boa-forma e estilo de vida. Assim, as marcas de moda e fitness podem contar com Alpha M para atingir públicos-alvo.

O marketing de influência pode aumentar seus esforços criativos de gestão de conteúdo. No entanto, é essencial selecionar os influenciadores certos para que você possa alcançar seu público-alvo.

5. Estudos de Caso

As pessoas não se importam com o que seu produto ou serviço faz. O que lhes interessa é como isso pode melhorar suas vidas. E que melhor maneira de dizer isso do que mostrar como você ajudou outras pessoas como elas?

Cerca de 83% dos usuários confiam nas recomendações de outras pessoas em comparação com a publicidade paga e de marca.

Compartilhar estudos de caso e depoimentos de seus clientes abre uma oportunidade para se obter resultados positivos. Na verdade, os estudos de caso são um ponto de partida para o marketing. As marcas podem apresentar seus produtos e serviços com histórias de sucesso de clientes de uma forma intuitiva.

Os estudos de caso são importantes porque se concentram no serviço do ponto de vista do cliente, em vez de promoções forçadas e pagas. Várias marcas cometem frequentemente o erro de se promoverem demais. Os estudos de caso são uma excelente ferramenta para desviar a atenção para os clientes e, em vez disso, focar no produto.

Uma empresa pode implementar vários tipos de estudos de caso; postagens em blogs, PDFs, vídeos, recursos de mídia social e vídeos para demonstrar histórias de sucesso de clientes.

Para ter uma ideia de como funcionam os estudos de caso, pesquise seu mercado e leia estudos de caso populares.

Gestão Criativa de Conteúdo: não perca mais tempo

O panorama do marketing de conteúdo está em constante mudança. Os usuários estão cada vez mais digitais e sua capacidade de atenção despencou. Para as marcas, isso significa menos tempo para atrair e engajar sua audiência.

Para superar este obstáculo, as empresas precisam enxergar além das estratégias tradicionais de marketing de conteúdo e desenvolver uma estratégia mais criativa e inovadora. Assim, a gestão criativa de conteúdo surgiu como a nova face do marketing de conteúdo.

Se implementada corretamente, a gestão criativa de conteúdo pode ajudar as empresas a engajar seus públicos-alvo, proporcionar-lhes experiências personalizadas e transformá-los em clientes rentáveis.

Crie sua primeira campanha com a Taboola!